Foi como ter um déja vu. Parecia que algo era familiar demais e tinha de ser porque o novo Honda FIT 2012 passou por uma pequeno face-lift quase imperceptível, mas com objetivo de padronizar os carros com a marca Honda.

Só mesmo colocando as versões lado a lado para perceber as mudanças nos faróis, pára-choques, grade dianteira e um sutil trabalho nos pára-lamas. A maior novidade na verdade foi a simplificação da linha. Em vez das nove versões até então, a Honda manterá a partir de agora seis versões do FIT, com câmbio seletivo ou automático.A versão de entrada é a DX (só manual), depois vem as opções LX (manual e automático), EX (manual e automático), e EXL (só automático). A boa notícia é que as versões intermediárias LX incorporaram muitos itens, mas mantiveram quase o mesmo preço das mais simples que saíram de linha.

Alguns detalhes novos estão escondidos como o sensor de estacionamento, o tanque de gasolina maior, passando de 42 para47 litrose um sistema de som que aceita periféricos USB.

Na mecânica não houve mudanças, bem como no chassi, suspensões etc.

Em movimento

Tivemos a oportunidade de avaliar as versões com câmbio automático e seletivo. A primeira boa impressão do câmbio automático foi a possibilidade de troca com comandos por borboleta, no volante. Na opção “S” ele mantém a marcha mesmo que o conta-giros chegue na faixa vermelha, a 6.500 rpm, quando o limitador entra em ação e corta a injeção de dois dos quatro cilindros. Mas se deixar a rotação baixar ele troca de marcha sozinho e ao sair parado ele só permite o engate das duas primeiras marchas.O lado bom deste câmbio “esportivo” é poder determinar as trocas de marcha quando quiser para ter uma tocada mais esportiva. Se for apenas passear ou enfrentar congestionamentos, a opção “D” é mais indicada. Já o câmbio seletivo tem acionamento muito preciso e macio.

A diferença de desempenho entre o motor 1.4 de 100 cv e o 1.5 de 115 cv é mais sensível nas subidas e retomada de velocidade, quando os 15% a mais de potência e 1,8 kgf de torque a mais se destacam.

De modo geral o FIT manteve as mesmas características do 2011, com destaque para os bons níveis de consumo e o grande espaço interno. Na pista onde foi realizado o teste, com muitas curvas, foi possível confirmar a boa estabilidade, mesmo para um veículo estilo mini-van. Mas o bom mesmo é a versão com câmbio automático, que é capaz de transformar um carro com estilo nada esportivo em um monovolume até agradável de dirigir.

Pelo que ficou evidente na apresentação, o objetivo da Honda é dar ao FIT o máximo de versatilidade. E aparentemente tem tudo para atender o uso urbano, na estrada, em curvas e até no piso de terra, graças a boa altura livre do solo.

PREÇO DAS VERSÕES 2013 DO NOVO FIT

Fit DX 1.4 manual: R$ 51.800
Fit LX 1.4 manual: R$ 55.700
Fit LX 1.4 automático: R$ 58.900
Fit EX 1.5 manual: R$ 62.120
Fit EX 1.5 automático: R$ 65.720
Fit EXL 1.5 automático: R$ 67.720.

Texto: Geraldo “Tite” Simões
Fotos: Divulgação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>